Ministro da Saúde diz que ação na cracolândia foi necessária


Operação da polícia ocorreu no domingo, 21
Foto: Werther Santana/Estadão

Jornal O Estado de S. Paulo
Ministro Ricardo Barros afirmou que municípios ´têm autonomia para exercer a política de saúde` e que o mais importante neste momento é garantir assistência aos dependentes químicos
Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA -Um dia depois de três moradores ficarem feridos durante a demolição de um prédio ainda ocupado na cracolândia, no centro de São Paulo, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou não ter críticas à operação e desejar que a ação da Prefeitura seja bem-sucedida na “recuperação” da área. “Esperamos que tenha sucesso com sua ação e consiga recuperar aquela área da cidade para pessoas de São Paulo”, disse, em entrevista concedida por teleconferência, diretamente da Suíça. “Acho que foi uma medida necessária e esperamos que ela produza resultados”, completou.

A operação na cracolândia foi desencadeada no domingo, 21. Afugentados, dependentes químicos se espalharam pelo centro da cidade. Para impedir o retorno dos frequentadores ao local, a Prefeitura determinou a demolição de prédios da região.

O ministro da Saúde afirmou que a coordenação do programa de Saúde Mental da pasta está acompanhando o processo. “Os municípios têm autonomia para exercer a política de saúde. Nesse caso, decidiu-se por uma estratégia mais efetiva para desconstruir o núcleo”, disse. Para ele, o importante agora é garantir que as pessoas recebam assistência necessária. Barros sugeriu, ainda, que parte dos dependentes pode retornar “para suas residências.” “Espero que o município encontre a solução adequada e mais efetiva para que eles sejam acomodados.”