COCAIR VI – Operação conjunta com UNODC apreende 900 kg de cocaína

26 de janeiro de 2018 – Os serviços de fiscalização da lei aeroportuária apreenderam 900 kg de cocaína, em cerca de trinta países da África, da América Latina e Caribe e do Oriente Médio, durante a operação COCAIR VI, realizada em dezembro. A Operação faz parte do Projeto de Comunicações Aeroportuárias (AIRCOP), implementado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) em colaboração com a Organização Mundial de Alfândegas (OMA) e a Organização Internacional de Polícia Criminal (INTERPOL).

A cocaína está no topo da lista no número de apreensões e quantidades interceptadas, enquanto drogas como heroína, tabaco, metanfetamina, cannabis, khat, medicamentos e dietilamida de ácido lisérgico (LSD) estavam entre os itens apreendidos por agentes de fiscalização.

No desfecho houve três interceptações, no total de mais de 700 mil dólares. O resultado mostrou que ainda predomina o movimento de moedas contrabandeadas, observado durante as operações anteriores do COCAIR. A operação levou à detenção de trinta e duas pessoas e à incriminação de duas empresas.

O objetivo principal da operação foi de interceptar remessas ilícitas de cocaína despachadas via aérea da América do Sul em direção à Europa, diretamente ou pelas zonas de trânsito na África. De forma geral, o propósito da operação foi de detectar substâncias ilícitas ou mesmo contrabando que poderiam ser transportados via aérea.

O projeto AIRCOP visa a fortalecer o controle em aeroportos internacionais na África, na América Latina e Caribe por meio de Estabelecimento de Forças-Tarefa de Interdição Conjunta de Aeroportos (JAITFs), assim como reunir os atores nacionais envolvidos na fiscalização e cumprimento da lei e na luta contra a fraude.

Como parte do Projeto, as JAITFs e outras unidades formaram uma rede de fiscalização que abrange 38 aeroportos em 35 países. A rede permitiu aos agentes a troca de informações e o registro de suas apreensões por meio de um sistema de comunicação seguro: o CENcomm.

Os oficiais também têm acesso às bases de dados da INTERPOL (I-24/7) para pesquisar os antecedentes criminais das pessoas detidas e verificar a autenticidade dos documentos de viagem que estão em circulação.

Além das JAITFs, participaram da operação os Escritórios de Ligação de Inteligência Regional da OMA para a África Ocidental, Europa Ocidental, África Central, Ásia e Caribe. Financiada pela União Européia, a Operação COCAIR VI auxiliou a consolidar a cooperação entre os serviços operacionais nos países participantes. Além disso, a aproximação com o projeto ´Reforçando a Investigação Criminal e a Cooperação da Justiça Penal ao Longo da Rota da Cocaína na América Latina, no Caribe e na África Ocidental` (CRIMJUST) abre novas oportunidades para as próximas investigações, a serem realizadas pelos serviços nacionais de investigação em matéria de apreensões de moedas para determinar sua origem ou finalidade.

Para mais informações:
Airport Communication Programme (AIRCOP)
Project CRIMJUST
Agradecemos a nossa Voluntária Online da ONU, Camila Luchini, por sua contribuição na tradução deste artigo. Camila é uma voluntária online mobilizada por meio de www.onlinevolunteering.org
Fonte:UNODC – Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime