Por que fumar maconha dá larica?

A Ciência explica por que maconha dá uma fome incontrolável, mesmo quando você está satisfeito.

Todo mundo sabe que um dos efeitos de fumar maconha é uma baita de uma larica. Mas o que exatamente acontece no nosso cérebro e no nosso corpo que causa esse aumento repentino e intenso de apetite?

Segundo pesquisadores, a resposta está em um dos componentes presentes na maconha chamado de tetrahydrocannabinol, ou mais conhecido como THC.

Um estudo publicado por pesquisadores da Universidade de Yale revelou que a “larica”, ou aquele desejo incontrolável de comer após fumar maconha, acontece quando o THC entra na corrente sanguínea e chega ao cérebro, fazendo que alguns neurônios que regulam o apetite, encontrados no hipotálamo no cérebro, sejam “desligados”.

O pesquisador Tamas Horvath e seus colegas monitoraram os circuitos cerebrais responsáveis pela regulação do apetite em camundongos.Os cientistas acompanharam o desempenho desses neurônios e verificaram que usar cannabis é como “desligar” essa função, fazendo o animal continuar a comer mesmo após alimentação.

″É como pisar no freio e o carro acelerar”, disse Horvath à revista científica Nature. “Ficamos surpresos ao descobrir que os neurônios que são responsáveis por interromper a alimentação estavam, de repente, promovendo a fome, mesmo quando você está cheio.”

A cannabis engana o sistema central de alimentação do cérebro, em resumo. Isso explica por que você fica faminto quando não deveria.

A descoberta vai além da curiosidade: pesquisadores da Universidade de Washington ficaram otimistas com as descobertas uma vez que isso significa novos tratamentos para aumentar o apetite de pacientes que tratam doenças como anorexia, câncer, HIV, doenças do coração e de pacientes com problemas no metabolismo.

“A capacidade do THC de estimular o apetite é valiosa, uma vez que muitas doenças causam perda extrema de apetite, o que reduz a qualidade de vida e retarda a recuperação”, reitera o estudo. “Um tratamento direcionado que ofereça os efeitos benéficos sobre o apetite sem afetar a saúde poderia aumentar a qualidade de vida e acelerar a recuperação.”

Fonte: Huffpost