Álcool é mais perigoso do que parece, principalmente se você fumar também

Os cientistas sabem que o consumo de cigarro e bebidas alcoólicas não faz bem para a saúde –na verdade, todos nós já sabemos, né? Porém, brechas em estudos científicos anteriores não tiravam completamente as dúvidas sobre como as substâncias nos afetam.

Para ter ainda mais detalhes dos efeitos, novas pesquisas discutiram a idade dos voluntários e o uso combinado de bebidas e cigarros. Os cientistas concluíram que um terço das mortes por consumo de álcool ocorreu entre pessoas de 20 a 49 anos.

Na primeira análise, publicada no Journal of Studies on Alcohol and Drugs, pesquisadores apontaram que muitos estudos sobre os efeitos de beber com moderação eram feitos com pessoas acima de 50 anos, o que cria uma imagem distorcida das reações do álcool por eliminar as pessoas que morreram pelo consumo de álcool em idades mais jovens.

Como foi feito o estudo:

  • Cientistas juntaram dados com estimativas de mortes relacionadas ao álcool e anos potenciais de vida perdidos devido ao consumo de álcool nos Estados Unidos;
  • O banco de dados incluiu 54 condições médicas que estão relacionadas, direta ou indiretamente, ao consumo de álcool, como doenças hepática alcoólica e acidentes de carro relacionados a dirigir embriagado;
  • Os números mostraram que um terço das mortes por consumo de álcool ocorreu entre pessoas de 20 a 49 anos;
  • De 2006 a 2010, cerca de 36% das mortes relacionadas ao consumo de álcool ocorreram em pessoas de 20 a 49 anos, e 35% entre pessoas com 65 anos ou mais;
  • Pensando no benefício do álcool, apenas 4,5% das mortes estimadas seriam evitadas pelo consumo de álcool entre os 20 e os 49 anos de idade, em comparação com 80% entre as pessoas com 65 anos ou mais.

Por que isso importa?

Com todas as informações ficou claro que estudos anteriores que envolvem idosos subestimaram os riscos relacionados ao álcool e que é preciso fazer análises com voluntários de todas as idades. É preciso ficar alerta para a ingestão de bebidas alcoólicas e não se iludir achando que elas não prejudicam o organismo de jovens adultos e pessoas na meia-idade.

Álcool e cigarro, uma combinação ainda pior

A segunda pesquisa, divulgada pela ACS Chemical Neuroscience, se aprofundou em saber as consequências prejudiciais à saúde de tomar bebidas alcoólicas e fumar.

O cigarro causa alterações químicas, estresse oxidativo e inflamação no cérebro, e o uso excessivo de álcool pode ter efeitos semelhantes. Porém, poucos estudos examinaram o impacto combinado do fumo e do álcool no cérebro.

Descobertas do estudo feito com ratos

  • Parte dos animais recebeu álcool, fumo de tabaco ou ambos duas vezes por dia durante 28 dias, depois pesquisadores compararam os cérebros com ratos que não receberam nenhuma substância.
  • O álcool combinado ao tabagismo aumentou os níveis de citocinas pró-inflamatórias. Ou seja, o uso conjunto de tabaco e álcool elevou o dano neural em determinadas regiões do cérebro.
  • Os ratos que receberam as substâncias tóxicas apresentaram níveis mais baixos de um fator de crescimento que ajuda os neurônios existentes a sobreviver e estimula o crescimento de novos.

Estes resultados sugerem que quem bebe e fuma está em risco adicional de danos neurais e é preciso ficar alerta com o funcionamento do cérebro.

Sei que é carnaval e você está querendo fazer uma bagunça e não pensar na sua saúde, mas caso não tenha ficado claro, é melhor pegar leve com os drinques e os cigarros.

Fonte: Viva Bem