Diagnóstico precoce do câncer bucal é tema de webinar no INCA

Evento faz parte das comemorações da Semana Nacional de Prevenção ao Câncer de Boca

O papel da universidade no apoio à rede de diagnóstico do câncer de boca, o uso da tecnologia no diagnóstico precoce da doença, a importância do Estado e do trabalho do cirurgião-dentista nas unidades e centros de assistência de alta complexidade com reflexos na formação profissional. Estes serão alguns dos temas debatidos no Primeiro Webinário Nacional de Prevenção de Câncer de Boca, nesta quarta-feira, 4, em comemoração à  Semana Nacional de Prevenção do Câncer de Boca, de 1º a 7 de novembro.

O objetivo da semana é estimular ações preventivas e campanhas educativas relacionadas ao câncer bucal, promover debates e outros eventos sobre as políticas públicas para a prevenção e o controle da doença, apoiar as atividades organizadas e desenvolvidas pela sociedade civil de controle do câncer bucal e difundir os avanços técnico-científicos relacionados ao tema.

Durante o webinar será lançado o relatório Intervalo de tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento oncológico dos casos de câncer de lábio e cavidade oral (Painel-Oncologia), elaborado pelo INCA.

O câncer da boca é um tumor maligno que afeta lábios, gengivas, bochechas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo do órgão. O diagnóstico precoce da doença é fundamental para seu melhor prognóstico. No Brasil, porém, a maioria dos casos ainda é diagnosticada em estágios avançados. A doença é mais frequente em homens, a partir dos 40 anos. Tabagismo, consumo regular de bebidas alcoólicas, exposição ao sol, excesso de peso corporal e infecção pelo vírus HPV são fatores de risco.
Estima-se 11.180 casos novos da doença em homens e 4.010 em mulheres para cada ano do triênio 2020-2022. As regiões Sudeste e Sul apresentam as maiores taxas de incidência e de mortalidade da doença.

O Primeiro Webinário Nacional de Prevenção de Câncer de Boca poderá ser assistido ao vivo pelo YouTube (https://youtu.be/XOYIDn8Q9jM) a partir das 11h.

Fonte:INCA – Instituto Nacional de Câncer, Ministério da Saúde