A confusão entre plantar maconha e produção de medicamentos à base de canabidiol

Por conta de grandes interesses econômicos, de saúde pública, de segurança social, ideologia e crenças diversas, estabeleceu-se, de forma deliberada, uma enorme confusão entre plantar maconha e a produção de medicamentos à base de canabidiol.

Canabidiol não é maconha

Afirmações que utilizam o termo “maconha” como sinônimo de “canabidiol” são comuns, porém falsas. A maconha é uma planta cujo nome científico é cannabis, possuindo várias subespécies que, por sua vez, possuem diferentes substâncias ativas, sendo duas delas as mais conhecidas: o tetra-hidro-canabinol – ou THC – é a parte que gera os efeitos psicoativos com alterações sensoriais, é a “que dá o barato”, e já tem os seus efeitos bem estudados e declarados; já o canabidiol poderia ser considerado a “parte positiva da maconha”, ou terapêutica, que começa a ser mais bem estudada e compreendida.

A maioria dos estudos que utilizam a cannabis, ou parte dela (canabidiol), para tratar diversos problemas de saúde, como por exemplo, ansiedade, começaram recentemente, e ainda não foram suficientes para se obter uma indicação clara tanto da eficácia quanto detalhes como dose, forma de administração, efeitos colaterais, etc;

Leia mais em https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/a-confusao-entre-plantar-maconha-e-producao-de-medicamentos-a-base-de-canabidiol/

Fonte:UNIAD – Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas