Consumo de álcool e cirurgia bariátrica

 Pessoas que passam por cirurgia bariátrica são mais sensíveis ao álcool e tendem a consumi-lo mais. Confira os quatro motivos principais que levam a um aumento no uso de álcool nestes casos.

Com o aumento dos casos de obesidade nos Estados Unidos, a cirurgia bariátrica, também chamada de cirurgia de perda de peso (Weight Loss Surgery – WLS), se tornou um procedimento cada vez mais comum, sendo considerada como o tratamento mais eficaz e duradouro para casos de obesidade mórbida. Embora a cirurgia diminua a mortalidade desses pacientes a longo prazo e haja baixa incidência de efeitos adversos a curto prazo, diversos relatos na literatura relacionam este procedimento a um aumento no risco para o desenvolvimento de transtornos relacionados ao uso do álcool (abuso ou dependência)1,2.

Existe alguns preditores que indicam maior risco de consumo abusivo após a cirurgia bariátrica. Um estudo acompanhou 567 pacientes que passaram por esse procedimento cirúrgico, analisando consumo de álcool e outras variáveis antes e depois da cirurgia. De maneira geral, os autores apontam que pessoas mais jovens e com histórico pré-cirúrgico de consumo nocivo de álcool são mais predispostas ao consumo nocivo de álcool pós-cirúrgico. Nesse sentido, quanto maiores a frequência e a quantidade de consumo de álcool antes da cirurgia, maior a chance de engajamento em consumo nocivo depois3.

Um estudo realizado por Spadola e colaboradores4, revelou quatro motivos que levavam a um aumento no uso de álcool após este tipo de procedimento cirúrgico: (1) aumento da sensibilidade à intoxicação alcoólica; (2) uso do álcool como um mecanismo de substituição para os alimentos; (3) aumento da socialização envolvendo o consumo de álcool e (4) uso do álcool como um mecanismo de enfrentamento. Dentre os participantes, 75% descreveram aumento na sensibilidade ao álcool após a cirurgia. Mais da metade (58,3%) usou álcool para lidar com o estresse, ansiedade, depressão, tédio, ajudar no sono e para lidar com a fome. Motivos físicos para substituir o álcool por comida também foram relatados. Comer em excesso após a cirurgia bariátrica pode produzir sensação de desconforto físico5 e alimentos açucarados podem promover náuseas, também chamadas de síndrome de dumping6. Muitos participantes (66,7%) relataram um aumento nas oportunidades de socializar, incluindo os contextos sociais associados ao uso de álcool.

A compreensão dos impulsionadores do uso de álcool após a cirurgia bariátrica é importante para o desenvolvimento de intervenções de aconselhamento pré e pós-cirúrgicas para abordar essa preocupação emergente. O estudo de populações específicas, como jovens adultos e minorias étnicas, que têm sido cada vez mais submetidos a esse tipo de procedimento, também é de extrema importância, já que podem estar sujeitos a um maior risco de problemas relacionados ao uso de álcool. De maneira geral, esses grupos são sub-representados nas amostras de estudos sobre esse tema.

O modelo explicativo de transtorno relacionado ao uso de álcool pós-operatório de Yoder e colaboradores, e consistente com outros estudos, indica que os problemas com álcool, tipicamente, não aparecem até 2 anos pós-cirurgia, o chamado período de lua-de-mel1,7. A troca da comida pela bebida funciona como uma estratégia de enfrentamento e também pode explicar por que alguns pacientes sem abuso ou dependência de álcool pré-operatório desenvolvem problemas após a cirurgia8,9.

  • Referências:
    1. Miller-Matero L, Orlovskaia J, Hecht L, Braciszeweski J, Martens K, Hamann A, et al. Hazardous Alcohol Use in the Four Years Following Bariatric Surgery. Psychol Health Med [Internet]. 2021 [cited 2021 Jul 15]; Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/34096405/
    2. Bramming M, Becker U, Jørgensen M, Neermark S, Bisgaard T, Tolstrup J. Bariatric surgery and risk of alcohol use disorder: a register-based cohort study. Int J Epidemiol [Internet]. 2021 Dec 1 [cited 2021 Jul 15];49(6):1826–35. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33085738/
    3. Miller-Matero LR, Hamann A, LaLonde L, Martens KM, Son J, Clark-Sienkiewicz S, et al. Predictors of Alcohol Use after Bariatric Surgery. J Clin Psychol Med Settings [Internet]. 2020 Nov 17 [cited 2021 Apr 27];1–7. Available from: https://doi.org/10.1007/s10880-020-09751-3
    4. Spadola CE, Wagner EF, Varga LM, Syvertsen JL, De La Cruz Munoz NF, Messiah SE. A Qualitative Examination of Increased Alcohol Use after Bariatric Surgery among Racially/Ethnically Diverse Young Adults. Obes Surg [Internet]. 2018 Jun 1 [cited 2021 Apr 20];28(6):1492–7. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29151242/
    5. Engström M, Forsberg A. Wishing for deburdening through a sustainable control after bariatric surgery. Int J Qual Stud Health Well-being [Internet]. 2011 [cited 2021 Apr 20];6(1). Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/21339891/
    6. Rusch MD, Andris D. Maladaptive eating patterns after weight-loss surgery [Internet]. Vol. 22, Nutrition in Clinical Practice. Nutr Clin Pract; 2007 [cited 2021 Apr 20]. p. 41–9. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/17242453/
    7. Yoder R, MacNeela P, Conway R, Heary C. How Do Individuals Develop Alcohol Use Disorder After Bariatric Surgery? A Grounded Theory Exploration. Obes Surg [Internet]. 2018 Mar 1 [cited 2021 Apr 20];28(3):717–24. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29032488/
    8. Hardman CA, Christiansen P. Psychological issues and alcohol misuse following bariatric surgery [Internet]. Vol. 14, Nature Reviews Endocrinology. Nature Publishing Group; 2018 [cited 2021 Apr 20]. p. 377–8. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29622789/
    9. Azam H, Shahrestani S, Phan K. Alcohol use disorders before and after bariatric surgery: a systematic review and meta-analysis. Ann Transl Med [Internet]. 2018 Apr [cited 2021 Apr 20];6(8):148–148. Available from: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29862237/

Fonte:CISA – Centro de Informações Sobre Saúde e Álcool